quarta-feira, 4 de março de 2009

Para mim chega.

Se não sou boa com as palavras, talvez seja porque você não as ouve.
Hoje entrei em desespero absoluto ao ver que minha felicidade de nada te serve.
Teus julgamentos diminuem ainda mais minha extensão.
Meu choro é a tua alegria, só pode ser.
Se em tudo que eu vejo beleza você vê miséria,
se no meu ganho há a sua perda então já não podemos mais ficar assim.
Meu silêncio é tua pacatez , e meus dias se tornam infernos ao lado dos teus.
Entenda que de tudo tentei fazer, mas o ápice absoluto do caos me parece chegar.
Vivo na imensa pressão de andar nos teus sapatos e tentar me ser.
Sou forçada a viver nesta ressaca, nesta opressão que me desmorona.
Sei bem o que tenho me tornado, e isso me assusta.
Minha insensibilidade floresce, herança da tua.
Pode soar infiel, mas é o cansaço sincero do que você quer que eu seja, e sei tão bem que jamais serei.

Melina.

Visitas