quinta-feira, 7 de maio de 2009

Un trocito de cada uno.

Tenho meu universo particular, tenho minha bagunça meticulosamente desorganizada,
tenho imprecisão nos meus horários, tenho os músculos mastigados,
tenho uma extensa necessidade de sumir, de encontrar, de dizer, de calar, de amar e ser amada,  de entender.
Diante dessas horas gastas que te envelhecem a pele, desses dias pra viver e não ser,
eu corro, eu me abasteço de um pouco de sonho.
Sonho pra ter o que viver, para almejar.
Nem tudo é poesia, nem tudo é tristeza, nem tudo é alegria.
Um pouco de cada, um pouco do mundo.
Prefiro assim.

Visitas