domingo, 17 de janeiro de 2010

Fiquei aos soluços horas a fio na varanda revezando silêncios e gemidos desesperados de dor onde não se toca, mas se fere. Me assusta encontrar diariamente coisas em mim que não sei explicar. É de se querer dar fim na vida quando as esperanças são decapitadas assim. Olho fixo para o distante e ardo na falta. Seria capaz de desistir de mim para ser com você tudo o que fui incapaz de ser sozinha. Te espero chegar como acaso do meu destino ou descuido do mesmo. Te encontro no sólido e no que não se avista. Tocou-me tão fundo que agora tudo é pouco. Espero sua chegada, espero minha vinda. Estou apartada do mundo, refugiada de tudo que não leva teu nome. Incapaz de balbuciar o amor de outro homem ou acreditar que passará para ser esquecimento. Tenho um passado ainda morno que às vezes me volta, e um futuro imenso que gero com a esperança de que nasça para me trazer gostos doces infinitos enquanto duro. Não culpo minha greve de felicidade pela tua partida, e sim por minha incapacidade de nunca nada que ainda seja desconhecido me bastar. E deito. Calo-me a voz e a mente, não por impulso, mas por obrigação. Preciso conservar o que ainda me resta de isento.

8 comentários:

dianaBruna disse...

Gostei viu? olha o meu?
http://omelhordavidaeissoeocio.blogspot.com/
Bjinho

Beatriz disse...

Aquele música também me caiu como uma luva ontem.
"Seria capaz de desistir de mim para ser com você tudo o que fui incapaz de ser sozinha". Não desistiria de mim, mas uma boa companhia nos move e nos engrandece. Acho que estou num momento assim, de dividir e ganhar e ter a chance de viver coisas que ainda não vivi por causa de alguém.
=)
Boa semana!
beijosss

Luanne de Cássia disse...

E eu sei que dói mais, muito mais do que qualquer um possa imaginar''

Bjo

Iasminne Fortes disse...

Sempre que te leio é um presente pois sempre me identifico com algo, Melina!

'Me assusta encontrar diariamente coisas em mim que não sei explicar.'

Eu me sentir inteira nessa frase.
Beijos =*

Vanessa Galvão disse...

'Me assusta encontrar diariamente coisas em mim que não sei explicar.'

E ai, como isso me incomoda. Não me entender e não me encontrar, nunca!
Beijo

Leonardo Massaneiro Luciano disse...

Raro encontrar tantos sentimentos fortes, até mesmo contrários entre si, dispostos de maneira tão harmônica e num texto tão coeso e ao mesmo tempo tão profundo. Sensacional!

M disse...

Melina, seus textos são demais.
Te sigo no twitter, e adoro seus tweets também. AHAHHA, ácidos e autênticos, sempre.
Beijos!

Eduardo disse...

''Me assusta encontrar diariamente coisas em mim que não sei explicar.''
Suponho que eu me sentitia exatamente assim se não fosse pela ministração quase que diária do Espírito Santo que na sua função precípua vai me explicando e dando discernimento sobre os planos que o Altissimo faz e refaz para essa etapa da minha vida eterna. Assim como faz para cada um/a que se encontra ainda encarnado. Muito legal, esse Espírito Santo !

Visitas