sexta-feira, 9 de julho de 2010

Marulhoso

Carrego excelências, de porte e de corpo.
Dos avessos me tomo, das exclamações me proclamo.
Uma só de mim são várias.
De solas coladas ao chão, parto ao pensar
e ponho-me sempre ao acaso.
Sou filha do descomunal.
De tremores a fala se discorre,
preciso do que me sustente num laço.
Bem sei: qualquer pedaço de carne faz-se mais clarividente que ti.
Aflitivamente, é da tua carne que insisto em querer,
e queres o nada envolto num corpo de aparências.
Teimo, se não te conheces,
dou-te a chance: conheço-te todo e apresento-te a ti mesmo.

2 comentários:

Rachel disse...

Tens realmente uma grande capacidade de passar para texto o que te vai na alma, ESTÁ LINDO Melina!

FERNANDO COSTA disse...

Sem Palavras - Que enxurrada de coisas bem ditas, lindas e profundas.

Cheguei por acaso, e sei que no acaso habita a boa nova. Digo: Surpresa maravilhosa foi ler-te encontrar teus escritos.

Aproveito para desejar-te um excelente final de semana, saudações fraternas.


Fernando Costa

Visitas