sábado, 7 de agosto de 2010

Recado

Pulso e peço palmas,
tenho fome e quero ajuda.
Esse êxtase não é passageiro,
nem benigno.
Estou em trapos na contramão.
Inapropriada que sou,
melhor dosar minha companhia.
Vou-me nua como quem nasce.
Vou-me sozinha como quem morre.
Quero que me conheçam outra.
Seguirei na risca dos sobressaltos e impulsos.
Onde vou não há pecados.
Onde vou as gentes são soltas.
Onde vou os tempos são outros.

6 comentários:

FERNANDO COSTA disse...

Ides - E por onde for levais consigo
O abraço não dado, o coração apertado
O amigo deixado, o senão emprestado
O amargo caso e o descompasso.

Mas ides – Como quem tem sede
Como quem quer mais
Como alguém capaz
E com alvoroço

Porque só o novo
Pressupõe o mérito
Com os seus mistérios

Que aqui confesso
Na manhã seguinte
Quer amar você !



(saudações fraternas,palmas e pulso amigo)

Beatriz disse...

Adorá-vel!
Vá e seja um sucesso! rs

beijoss

FERNANDO COSTA disse...

Vamos postar ???

Onde estão as idéias, as grandes idéias em palavras tão certeiras.

Afinal de contas, das 7:53 até aqui já se foram algumas horas. rsrsrs.

Super Domingo - Beijo Gigante.

Nanne costa disse...

O caminho em direção ao Bem não é fácil, mas, quando conquistado, torna-se uma enorme gratificação para o ser humano.


bjus

Amanda Arrais disse...

Adoro a força e a urgência com que tu escreves. Consigo sentir tua intensidade e adoro tuas palavras.

=*

Bianca Morais / Faith disse...

Lindo poema, amei!
Desculpa a demora para responder o comentário!
Ah, sim, sou fotógrafa. :)

Beijo, uma ótima semana!

Visitas