quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Zona

Tenho descompassos e desequilíbrios
pontuais e imprecisos.
Tenho curvas na cintura e
mãos atrevidas.
Eles me dizem pra me pintar,
me circular de paixão, me doar por prazer.
Meu prazer tá na gastura.
Tem de me vir sofrido, arrastado, apertado.
Tem de me acontecer sem previsão e nem destino,
tem de me dizer que sim e depois me tapear a cara.
Gosto do arrepio.
Tenho tudo que uma mulher pode ter.
Um dom de quem vai oca e volta inteira.
Um dom de quem ama tímido e aos baldes.
Tenho tudo e nem me cabe tanto.
Sou maiúscula.

5 comentários:

PANKADA disse...

Lindo. Saudade. Beijo

Sabiana M. disse...

singelo e profundo!

M.Z. disse...

Como é difícil explicar para as pessoas que escrevemos pra que se sinta algo...Ou as pessoas estão "too numb" ou eu devo estar vivendo em outra dimensão que não a minha. Parabéns pelo blog.

FERNANDO COSTA disse...

eis a aquarela do eu (em vc)que pintas, iluminas e transformas - Digo: Ao sabor das horas.

eis o mais profundo de chegar - Digo: Apontar, intuir, revelar.

eis o que não se brinca em palavras - Digo; Nós, a sós e sem escalas.

Eis o que me prende e me faz voltar - AMAR!

Willyan Luemi disse...

Intensa vida, Densa e leve.
Uma história curiosa.

Grande abraço,
Muita bom o seu blog.

Visitas