quarta-feira, 23 de março de 2011

Esperança Cansa

A vida faz o amor, ou este faz a vida?” foi o que Shakespeare indagou na cena II do ato III de Hamlet. Foi o que hoje, sentada de pernas cruzadas no sofá, eu sorrateiramente passei os olhos e me nasceu uma matilha na garganta.
Acordei cedo, quase com o sol. Seis horas minhas pernas já estavam estendidas andando pela cozinha. Procurando o pó de café, ligando a televisão para o jornal. Tem dor que tira o sono. Tem dor que não cabe no peito da gente.
Eu sei que sei ser menos. Eu quero menos. Menos.

7 comentários:

Jamil S.P. disse...

http://www.youtube.com/watch?v=Y8DkR8dWZGY

Mayara Almeida disse...

Tem dor que faz nascer um texto assim, bem desabafo.

L. Rafael Nolli disse...

...e por fim menos é sempre mais - pelo menos em poesia.
Abraços.

. disse...

Muito bommmmm..
Sem comentários sobre suas palavras ne? srsr
primeira vez por aqui e gostei pra caralho, tenho 2 se quiser conferir:

http://senhoritadinamitt.blogspot.com/ (novo)

e

http://coisasdeanitta.blogspot.com/ (mais antigo)

Marcelo Zorzeto disse...

Os sentimentos do mundo me tiram o sono. Às vezes acho que não vale à pena dormir mesmo. Mas durmo. BJs.

Beatriz disse...

Maravilhosa como sempre até mesmo "filosofando" Shakespeare. rs
Acho que a vida faz o amor, nós o fazemos da maneira que queremos... Ou não.. Vamos levando, menos como vc quer, mesmo que tudo a nossa volta nos provoque.

=)

Renata Lima disse...

Adorei o post!!! Amei o blog..
bjos

http://blogamodaantiga.blogspot.com/

Visitas