terça-feira, 26 de abril de 2011

Cheio

Passam carros
eu miúda
na tua mão
vergonhas pra fora na avenida
contramão
sou até bonita
meio estática colorida amedrontada
não tenho cunho pra tua canalhice
por isso te gosto quando me gosta
ponta dos dedos
dentes afiados
me perco sem nunca ter me achado
só me descobri impossível
não gosto das rédeas
me quero aguda
na tua gengiva
fazendo arte
brotando pra fora
achando socorro.

Nenhum comentário:

Visitas