quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Sol Escuro

não tento mais
me dar aos bons exemplos
nem me faço de contente
passando a língua pelos dentes
satisfeita com o jantar
e o que há de vir depois
a vida casual que corre
e não me liga no dia seguinte

acho que pessoas
são enfeites
na vida das outras pessoas
badulaques
adornos

acho que me levo a sério
ponho tudo nos ombros
carrego fardos
exijo soluções

o que faço às vezes
é fingir alegria
esquecendo meu nome
e dogmas que inventei

sou o que resta do resto
de uma verdade inventada

Nenhum comentário:

Visitas