segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Em geral silenciosa
ou verborrágica
não escolhi o sossego
preferi destrinchar perguntas
sem respostas.

Reviro em cólicas
orgulhosa
achei que pudesse controlar
enfileirar memórias
escolher rostos
ponderar tolices.

Me abri demais
para uma vida sem sentido.

2 comentários:

Hlena disse...

Talvez se abrir demais para a vida sem sentido nos feche para os pequenos sentidos da vida. Seu caminho é o da questão, não espere respostas de rostos desenhados em balões. Miss you.

L. Rafael Nolli disse...

Talvez, realmente, o sentido esteja nas pequenas, insignificantes, coisas da vida!
Gostei.
Abraços!

Visitas