quarta-feira, 5 de outubro de 2011

O que quiser

não tenho medo
em ser devassa
puta
ou depravada
não tenho medo
em não ter deus
não tenho medo
de não ter pai
meu maior medo
é conviver comigo
de frente pro espelho
fazer as pazes
engolir seco
ter de enfrentar
e não ter pra onde correr
ter que conviver
sem saber o que fazer
se viro monja
se viro mãe
se viro amante
se viro ordinária
ou se me relato
em versos baratos
e me viro com o que há
de mim
que me pensem
como quiserem
que não me penso
me evito
quando me encontro
desvio
mudo de calçada
ponho meu ray-ban
pego atalhos
finjo não conhecer
perdi a coragem própria
em alguma esquina
enquanto me dava pro vento
enquanto inventava formas
de me safar

engravidei de mim

2 comentários:

Thalita Paiva disse...

muuuiiiittttooo FODA!

Ray Lucas disse...

maravilhoso... virei seu fã!

Visitas