terça-feira, 25 de outubro de 2011

Quanto


Não posso falar de morte ainda
e nem deixar que prevenham
minha vida
numa página de jornal qualquer
porque o destino bate e volta
incerto e obsceno
não acredito em divindade
acho que sou demais desprevenida
(se aceito sou santa
se condeno sou vadia -
prefiro levantar a saia)

É certo que há fim
mas não finalidade.

É covarde como pintam a vida.

2 comentários:

João Aranha disse...

BRAVO!

Beatriz Fig disse...

Onde eu clico "adorei"? hehe bjoss

Visitas