sábado, 17 de dezembro de 2011

Agraciada

faz tempo que eu não me encanto
pelo que vejo no espelho
por quem vejo na rua
e até mesmo por quem já me viu nua
sofro de desencantamento agudo
do mundo
por isso mudo
até perder o sentido
sinto muito, homem
mas eu sinto muito

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

Meu corpo insatisfeito
pede mais sem nem saber o que quer
muda de cidade
e não se resolve
não se pacifica
não se acalma
não se doma
não se arruma
não se ruma
ama os que não o amariam
não pede trégua
se arrisca solitário
querendo o risco
querendo o corte
querendo a morte
de todas as agressões
de tudo o que fere
sem saber
que se fere sozinho
louvando o impossível
incompatível
sensível
irredutível.
Meu corpo quer o conforto
de não precisar de mim.

Visitas