domingo, 26 de maio de 2013

"Comporta-te como a que cala e supostamente aceita
A condição daquele homem."
Retruco que não entendo minhas submissões.
Já não sei se meu amor é submisso ou transgressor e sem vaidades.
Se sou sozinha ou sou livre
se devo admitir desejos ou fazer deles silencio.
Virar do avesso e fingir de santa
escolher por absolutismos e devoções 
ainda que eu não seja devota 
de nada além do proibido.

sexta-feira, 24 de maio de 2013

Sou aberta ao amor
suas consequências 
seus sofrimentos 
seus ensinamentos
que nunca aprendo.
Sou vulnerável às paixões 
e todas as formas de linguagem. 
Meu corpo é livro aberto que ninguém sabe interpretar. 

quinta-feira, 16 de maio de 2013

Vera-neios


Eis que esse homem materializou meu desejo
e agora meu corpo pede bis
não tem costumes nem rituais;
é cru, suplica, fala, sente excessos.
Explico como quem nada quer
que não acredito na ressurreição das paixões perdidas
sou filha do oceano,
pacto qualquer com a sede pelo infinito
mistério que afoga e puxa pro fundo
seduz.
Que sou gata no cio
urgindo por vida
e em mim ninguém manda.

Visitas